Google– ou –

PLC 6877-2017

Tornará obrigatória a realização de análise de risco de desastre ambiental no momento em que for feita a avaliação de impactos ambientais para a concessão de licença ambiental para construção de empreendimentos.

Este projeto de lei tornará obrigatória a realização de análise de risco de desastre ambiental decorrentes de danos potenciais do empreendimento, no momento em que for feita a avaliação de impactos ambientais para a concessão de licença ambiental.

Será considerado desastre o resultado de eventos indesejáveis, de origem natural ou induzidos por humanos, sobre ecossistemas e populações vulneráveis, causando graves danos humanos, materiais ou ambientais e prejuízos econômicos e sociais.

A análise de risco de desastre ambiental deverá considerar a hipótese de ocorrência de eventos naturais extremos durante a implantação e a operação do empreendimento.

No licenciamento ambiental de empreendimentos que envolvam risco de desastre alto ou muito alto deverão ser previstas medidas que assegurem a redução do risco, sob pena de não ser concedida a licença ambiental.

Esta lei entrará em vigor na data de sua publicação.

De acordo com o deputado, este projeto de lei tem o objetivo de reduzir a implantação de projetos que apresentem riscos de desastre alto ou muito alto sem que sejam criadas ações preventivas necessárias para evitar que os desastres ocorram. 


Votos dos cidadãos

186 votos, 170 sim, 16 não

Filtrar gráficos

MasculinoFeminino

Classificação do cidadão para este projeto

4 classificações
50%
50%
0%
0%
0%
0%

5 comentários

10153347827621630

Enzo CamargoNão

Não precisa de mais legislação ambiental, precisa de mais focalização.

Square user masculino 418e2740fbf94a752b1882289354031b2dca271aa357d27789dd68e5c9a344c0

Sergio ClostridiumSim

O ideal mesmo é fazer o monitoramento se as construções estão seguindo as normas de segurança previamente estabelecidas e adequadas a situação de fato!

994623320593733

Angélica CarvalhoNão

isso ja é feito

1542493472438063

Pedro Henrique RamosSim

Já não se faz isso no EIA?

100002607299259

Fernando NunesSim

pensei q ja se fazia isso ...