Google– ou –
Ronaldo Caiado
Senador • 1˚ mandato • Goiás

Ronaldo Caiado

Dem f17503798d239acae234280844ae8f7a17c2b22c83971720fcd97bd82b8e0655DEM - Democratas

22 projetos cadastrados

3 aprovados, 0 reprovados

Votos em 52 projetos

47 sim, 5 não

Ranking
  • Romário
  • Wilder de Morais
  • Ronaldo Caiado
  • Zezé Perrella
  • Jader Barbalho

Aceitação Geral

87.425 votos

75.737 sim

11.688 não

Total de comentários

1.877

Classificação Geral

Urgente
70%
Relevante
8%
Corajoso
7%
Inviável
3%
Irrelevante
2%
Sem noção
10%
Twitter:

deputadocaiado

Biografia +
Naturalidade: Anápolis, GO Profissões: Médico, Professor e Produtor Rural Mandatos Eletivos: Deputado Federal (Congresso Revisor), 1991-1995 (Goiás – PSD); Deputado Federal, 1999-2003 (Goiás – PFL); Deputado Federal, 2003-2007 (Goiás – PFL); Deputado Federal, 2007-2011 (Goiás – PFL); Deputado Federal, 2011-2015 (Goiás - PFL). Filiações Partidárias: PFL, 1986-1988; PDC, 1989; PSD, 1989-1991; PFL, 1991-2007; DEM, 2007-. Atividades Partidárias: Vice-Líder do Bloco PFL/PRN/PSC/PDC/PL/PSD, 1992-1993; Membro, Diretório Nacional do PFL, (Brasília, DF), 1992-; Presidente, Diretório Regional do PFL, GO, 1994-; Vice-Líder do DEM, 1999-3/2005, 9/2005 e 10/2005-11/2005, 23/3/2006-31/1/2007, 7/2/2007-19/2/2008; Vice-Líder do Bloco PFL/PST, 2001-2002; Primeiro-Vice-Líder do DEM, 19/2/2008; Líder do DEM, 3/2/2009-. Atividades Parlamentares: Congresso Nacional: Comissões Mistas, Câmara dos Deputados: Comissões Permanentes, Comissões Especiais e Comissões Externas, Conselhos, Frentes e Grupos Parlamentares.

Permitirá que a pessoa portadora de marca-passo utilize outro tipo de acesso aos lugares públicos que não seja com portas magnéticas.

Proposto pelo senador
Arthur Virgílio do PSDB

Isentará do Imposto de Renda as pessoas com deficiência física, auditiva, visual ou mental.

Proposto pelo deputado
Eleuses Paiva do PSD

Possibilitará a inelegibilidade nos casos em que o candidato tiver sido julgado culpado por crime contra o meio-ambiente ou contra a saúde pública.

Possibilitará a inelegibilidade para o candidato que for condenado por abuso de autoridade.

Possibilitará que órgãos judiciais colegiados (como Conselhos e Comitês de justiça) tomem as decisões que possam levar à inelegibilidade do candidato.